É comum vermos em várias cidades, principalmente nas mais desenvolvidas, imigrantes vendendo produtos falsificados nas ruas – em cima de suas mantas. Na Espanha, eles começaram a ser chamados, de forma sarcástica, de Top Mantas (que vem de Manteros, referência à manta que eles estendem sob os produtos). Em outubro de 2015,  esses vendedores ambulantes se reuniram e formaram o Sindicato Mantero (Sindicatos Popular do Vendedores Ambulantes de Barcelona). Um de seus membros, Ulises Flores, comenta: “Há dois tipos de vulnerabilidades, as que destroem você e as que fazem você ser mais forte. Os comerciantes Top Manta estão tornando-se mais forte, mesmo com uma estigmatização insuportável”.

E é, com essa força, que recentemente o Sindicato Mantero, negociaram uma parceria com o coletivo de artistas brasileiros Opavivará, que já realizou diversas ações de apoio à venda ambulante ilegal na zona costeira do Rio de Janeiro e pretende fazer o mesmo em Barcelona defendendo o trabalho dos ambulantes. O Opavivará começou uma campanha para reivindicar uma visão positiva dos vendedores ambulantes, distribuindo cartões-postais onde eles aparecem. A parceria rendeu, ainda, o lançamento da marca Top Mantas,  com o slogan “sobreviver não é crime”, o nome pelo qual eram pejorativamente conhecidos e utilizando algo negativo para ressignificar a atividade que é o ganha-pão de muitos imigrantes na Europa.

O logotipo da marca é uma espécie de manta, semelhante a que os vendedores ilegais usam, com uma corda em cada uma das pontas para puxar e sair correndo. Em entrevista ao jornal El País, Aziz Faye porta voz  do Sindicato diz: “Também queríamos que parecesse uma canoa que é o meio de transporte usado pela maioria para chegar à Europa”. Faye está usando o primeiro protótipo de camiseta que eles querem vender, e, ainda, comenta sobre a repressão policial que os impede de vender.

Foto: ÁNGEL GARCÍA

A criação da marca para o exercício das vendas tem como intuito trazer um novo ângulo à prática antiga. Ao invés de exibirem o produto com logotipos falsificados, os vendedores substituem pelo da Top Manta. A intenção do sindicato é que os comerciantes não possam mais ser acusados de crime contra a propriedade comercial ou de vender produtos falsificados. O calendário deles ainda não está definido, mas querem instalar seus produtos nos mercados e começar a chegar aos cobertores de mais de 200 companheiros que vendem na cidade em questão de semanas.

Foto: MASSIMILIANO MINOCRI EL PAÍS

 

SOBRE A TENDÊNCIA:

EMERGENT – microtendência de comportamento do consumidor, no qual o mercado emergente está aberto para o mundo e o quadro da influência mundial está em constante mudança. Em termos cultural e econômico, vivemos em um mundo policêntrico.

 

Curta e compartilheTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+Share on Facebook

Deixe um comentário