Encontrar equilíbrio, relaxar e se reconectar a princípios saudáveis é uma forma de enfrentar as situações estressantes da vida pós-moderna. A macrotrend Whellty, Relaxed & Spiritual traduz a necessidade que todos, imersos nas loucuras de uma vida repleta de informações e exigências a sugar as energias físicas e emocionais, anseiam. Nesse caminho, um dos povos mais felizes do mundo, os dinamarqueses, exportam um lifestyle baseado no “hygge”¹ – palavra que, tal qual a saudade, não encontra tradução em outras línguas, mas exprime um sentimento gostoso, confortável e doce: o aconchego de viver bem, de forma simples, cercado daquilo que é gratificante e traz felicidade. Entretanto, não apenas no coração, mas no design, o espírito escandinavo mostra a que veio. A tendência explodiu no Reino Unido em 2016 e chegou aos EUA – 8 livros foram publicados sobre o tema nos últimos meses e a hashtag #hygge foi mencionada mais de 1,5 milhão de vezes no Instagram².

Observar, tomar um chá, compartilhar bons sentimentos, ver o pôr do sol, vivenciar detalhes simples. A ideologia hygge entrou na mente (e no coração, claro), nas casas, nos bares, nos cafés. Em Curitiba, o @apartamento.33, com 176 mil seguidores, mostrou seu desenvolvimento com decoração e redesign escandinavo: um ambiente aconchegante, com abuso de madeira e suas texturas, num flerte com o rústico, sem deixar de ser funcional, simples e delicado, com características nórdicas. As lembranças pessoais se espalham na casa, junto com peças de qualidades que mesclam o antigo e o novo. Tudo é intimista e proporciona bem-estar.

O hygge é a intimidade da alma e, na contramão da exposição, os anciãos dinamarqueses alegam que o hygge se perdeu e já não é mais o que era. Introspecção mercantilizada: está acessível a todos, da decoração à moda. Seus tons pastéis, simplicidade quase despretensiosa, delicados excessos controlados e bem calculados são sinônimo de elegância e sofisticação³. A ideia é comercializada e concretizada, embora os escandinavos a considerem abstrata e espiritual.

Reflexo da necessidade de pausar a vida caótica e frenética das grandes cidades, o hygge é o retorno amplo ao slow, além do slowfashion e do slowfood (como consequência,  acaba por abraçar também estas práticas), ao trazer a consciência de que é preciso deixar-se respirar. Respeitar o próprio tempo, o corpo e a mente, ao reconectar-se com o ambiente, para acessar sentimentos bons e reconhecer-se como parte de algo prazeroso de ser vivido.

¹http://www.bbc.com/news/magazine-34345791

²http://www.cosmopolitan.com/lifestyle/a8571181/what-is-hygge-things-to-know-about-the-danish-lifestyle-trend/?src=socialflowTW

³http://www.elle.de/hygge-modetrend

 

Curta e compartilheTweet about this on TwitterPin on PinterestShare on LinkedInShare on Google+Share on Facebook

Deixe um comentário